Monarch Airlines declara falência e deixa 110 mil passageiros sem passagem de volta

A concorrência com low-cost europeias fez com que a companhia aérea britânica Monarch declarasse falência e deixasse milhares de passageiros na mão.

0
585
Monarch Airlines

Cerca de 300 mil reservas foram canceladas nesta segunda-feira (02/10) depois que a companhia aérea britânica Monarch Airlines declarou falência. Além disso, 110 mil passageiros que já haviam viajado com a empresa também ficaram sem poder viajar de volta.

De acordo com a Autoridade da Aviação Civil britânica (CAA), esta é a companhia aérea do país mais importante a fechar as portas assim. O órgão, a pedido do governo do Reino Unido, irá providenciar que os passageiros retornem a seu ponto de partida.

Devido à situação inédita no país, as autoridades locais despacharão 30 aeronaves a 30 aeroportos diferentes para resgatar essas pessoas. Já os demais, que viajariam com a Monarch Airlines, acabaram tendo suas reservas anuladas.

Empresa não acompanhou a guerra de preços

O grande motivo para a companhia aérea Monarch Airlines ter fechado as portas foi a chamada guerra de preços do Mediterrâneo. Muitas empresas europeias estavam praticando tarifas bem baixas, o que teria prejudicado outras mais tradicionais.

A empresa deixa ainda 2,1 mil funcionários nas ruas, que deverão ser diretamente comunicados da situação o mais rapidamente possível. Com a falência, a Monarch perde ainda o certificado de transporte aéreo, não podendo manter sua atividade.

Administrada pelo grupo KPMG, a companhia aérea afirma que as rotas e preços competitivos das concorrentes fizeram com que a empresa registrasse diversas perdas consecutivas. Os custos estavam ficando muito elevados para a quantidade de passageiros.

Conheça mais a Monarch Airlines

No mercado desde 1968, a Monarch Airlines era muito popular entre britânicos que se dirigiam a destinos praianos no sul da Europa. A concorrência com empresas como Ryanair, Easyjet e Norwegian, no entanto, já vinha fazendo com que a tradicional companhia aérea apresentasse prejuízos.

Há um ano, em outubro de 2016, a Monarch Airlines chegou a receber 165 milhões de libras do fundo de investimento Greybull Capital, seu principal acionista. Com isso, a empresa havia conseguido renovar a licença por mais um ano.